Resenha Crítica: Na Cabine de Exibição (2019), de Ra’anan Alexandrowicz

Incrível diagnosticar como a polarização política atravessada pelo Brasil nos últimos 10 anos tem contaminado inclusive o fazer artístico. Hoje em dia, até um filme pode ser tachado como “de esquerda” ou “de direita” – lembram da briga entre “Aquarius” e “Pequeno Segredo” na disputa entre ambos para representar o Brasil na categoria de Melhor Filme Estrangeiro do Oscar 2017?

Embora o documentarista Ra’anan Alexandrowicz seja israelense e faça uma obra coproduzida por americanos, “Na Cabine de Exibição” é perfeito para nós em debates sobre perspectivas de mundo, o poder do convencimento e como discursos podem ser impenetráveis em mentes inflexíveis quanto aquilo que acreditam, mesmo com imagens que tentam convencê-las do oposto.

Neste experimento, Alexandrowicz escalou algumas pessoas para descrever em voz alta as suas impressões sobre os intermináveis conflitos entre Israel e Palestina concentrados em registros amadores projetados em uma cabine privada. Maia Levi foi convocada meses depois para voltar, pois foi a única a defender opiniões que iam de encontro às certezas do diretor.

Entre risos nervosos e questionamentos sobre a veracidade de cenas dominadas pela violência, Maia se revela aqui uma representação perfeita de como a audiência hoje em dia se comporta diante de manifestos audiovisuais.

São tempos difíceis e os narradores visuais parecem desarmados ao fazer com que os seus discursos sejam comprados fora de suas bolhas. ★★★

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s